Lição 9 - Influenciando a Sociedade

1º Trimestre de 2020

ESBOÇO DA LIÇÃO
1 – “VOCÊS SÃO O SAL DA TERRA”
2 – A LUZ PRECISA BRILHAR
3 – FAZENDO A DIFERENÇA

OBJETIVOS
Pontuar que os discípulos de Cristo devem influenciar a sociedade;
Ensinar que os atos de justiça do discípulo revelam o Reino de Deus às pessoas;
Mostrar que só faremos a diferença se demonstrarmos amor pelas pessoas.

DIANTE DO NECESSITADO, A NOSSA FÉ SEM OBRAS É MORTA

Eliezer de Lira e Silva

1. Fé e obras. Ao ler desavisadamente a epístola de Tiago o leitor pode afirmar que a epístola contradiz os ensinamentos do apóstolo Paulo quanto à doutrina da salvação pela fé (Rm 4.1-6). Todavia, ao estudarmos cuidadosamente o tema em questão, veremos que os ensinos paulinos e os de Tiago, em hipótese alguma se contradizem. Quando Paulo escreve sobre as obras, ele se refere a Lei ― o orgulho nos rituais judaicos e na obediência a um sistema de regras religiosas ― equanto que Tiago, às obras de misericórdia ao próximo necessitado. O meio-irmão do Senhor não se opôs ao apóstolo dos gentios. Enquanto Paulo anunciava ao pecador a salvação pela graça mediante a fé (Ef. 2.8), Tiago doutrinava os crentes sobre a impossibilidade de vivermos a fé de Cristo sem manifestar os frutos de arrependimento (Mt 3.8). Isto é, o primeiro preocupou-se com a causa da salvação e o segundo, com o efeito dela.  2. O cristão e a caridade. “A fé não acompanhada de ação é morta”, declara Tiago. “Fazer”, “realizar” e “agir” são atitudes que integram a religião pura e imaculada: ajudar os necessitados nas suas necessidades. A fé, quando não produz tais frutos, é morta. A fim de ilustrar tal verdade, Tiago inquire retoricamente os servos de Deus dizendo que se oferecermos, a um irmão ou a uma irmã, que estejam padecendo necessidade, apenas uma palavra de “incentivo” e não lhes dermos as coisas de que eles necessitam, isso não resolverá o problema. Diante de alguém necessitado, o que precisa ser feito? Orar e despedi-lo sem nada? Se assim procedermos, nossa oração não servirá para nada. Aliás, como ensina João, a pessoa que não se compadece dos necessitados, não tem o amor de Deus em sua vida (1 Jo 3.17,18). Tal aspecto já havia sido ensinado por Jesus ao dizer que, no socorro àqueles que precisam de ajuda, acolhemos o próprio Senhor (Mt 25.40).   3. A “morte” da fé. A concepção de fé apresentada na epístola de Tiago é a confiança em Deus: “Tu crês que há um só Deus?” (v.19). Logo, as obras de que Tiago fala, consistem na expressão da vontade de Deus, ou seja, amar o próximo, visitar os enfermos, defender os direitos dos pobres, praticar a justiça etc. Esta é a fé viva em Deus! A epístola nos ensina que se amamos o outro, não amamos segundo as nossas concupiscências, mas segundo o amor de Deus por nós. Este amor nos estimula a amar o ser humano independentemente de quem ele seja. Ame o próximo e mostrará uma fé viva. Não ame, e se confirmará: a tua é fé está morta.     

(Texto extraído de Lições Bíblicas, 3º Tri de 2014, editora CPAD)

  

Cadastre-se e receba ofertas e novidades por e-mail.