Lição 9 - Aprenda a Perdoar

3º Trimestre de 2020: Subsídio Especial 

Amar ao próximo é um dos mandamentos centrais do Evangelho do Senhor Jesus Cristo. Perdoar ao próximo é um dos maiores desafios que encontramos na jornada de obediência a este mandamento.

Perdoar é sublime, é gracioso, é libertador. Jesus nos amou e nos perdoou primeiro. Foi o Mestre quem abriu o caminho do perdão para nós trilharmos. Por isso, é tão importante e imprescindível que aprendamos a fazê-lo. 

Max Lucado, em seu livro “Simplesmente como Jesus”, aborda de forma impressionante uma das cenas mais graciosas de Cristo com seus discípulos, a qual muito nos ensina sobre a prática do perdão. Vejamos...

COM UMA TOALHA E UMA BACIA

“De todas as vezes em que vemos Jesus ajoelhar-se, nenhuma é tão preciosa como aquela em que se ajoelhou diante de seus discípulos e lavou-lhes os pés.

Isso aconteceu pouco antes da festa da Páscoa. Jesus sabia que era chegada a hora de deixar este mundo e ir para o Pai. E tendo amado os seus que estavam no mundo, mostrou nessa ocasião a completa extensão de seu amor.

Ora, antes da festa da Páscoa, sabendo Jesus que já era chegada a sua hora de passar deste mundo para o Pai, como havia amado os seus que estavam no mundo, amou-os até ao fim. E, acabada a ceia, tendo já o diabo posto no coração de Judas Iscariotes, filho de Simão, que o traísse, Jesus, sabendo que o Pai tinha depositado nas suas mãos todas as coisas, e que havia saído de Deus, e que ia para Deus, levantou-se da ceia, tirou as vestes, ... e começou a lavar os pés aos discípulos e a enxugar-lhos com a toalha com que estava cingido (Jo 13: 1-5).

Tinha sido um longo dia. Jerusalém estava repleta de convidados para a festa da Páscoa, a maioria dos quais clamava por ao menos ver rapidamente o Mestre. O sol da primavera é quente. As ruas estão secas. E os discípulos longe de casa. Um mergulho em água fria seria refrescante.

Os discípulos entram, um a um, e tomam lugar em volta da mesa. Na parede há uma toalha pendurada e, no chão, uma jarra e uma bacia. Qualquer um dos discípulos podia se apresentar como voluntário para esse trabalho, mas nenhum o faz. (...)

Nos dias de Jesus, a tarefa de lavar os pés era reservada não apenas aos servos, mas aos servos de menor escalão.Toda a organização possui a sua hierarquia, e a dos trabalhadores domésticos não era exceção. O servo que se encontrava na base da estrutura hierárquica, o mais simples, era aquele que deveria ajoelhar-se com a toalha e a bacia.

Nesse episódio, aquele que está com a toalha e a bacia é o Rei do universo. As mãos que formaram as estrelas agora lavam a sujeira. Os dedos que fizeram as montanhas agora esfregam dedões. (...)

Você pode estar certo de que Jesus conhece o futuro de cada pé que está lavando. Esses vinte e quatro pés não seguirão a seu Mestre no dia seguinte, defendendo a sua causa. (...)

Veja o presente que Jesus dá a seus seguidores! Ele conhece o que aqueles homens estavam prestes a fazer. Ele sabe que estavam a ponto de cometer o ato mais vil de suas vidas. Pela manhã sepultarão suas cabeças na vergonha, e olharão para seus pés com amargura. E quando o fizerem, Ele quer que se lembrem de seus joelhos dobrando-se diante deles e como lhes lavou os pés. Ele deseja que os seus discípulos compreendam que aqueles pés ainda estão limpos. "O que eu faço não o sabes tu agora, mas tu o saberás depois" (Jo 13.7).

Extraordinário. Jesus perdoou-lhes os pecados, antes mesmo que o cometessem. Ele ofereceu misericórdia antes que eles a buscassem.”

LUCADO, Max. Simplesmente como Jesus. Rio de Janeiro: CPAD, 2000, p. 29-31. 

Cadastre-se e receba ofertas e novidades por e-mail.