Lição 03 - Salomão orou pedindo inteligência

2º Trimestre de 2020

Objetivo da lição: Mostrar às crianças que Deus atende às nossas orações.

É hora do versículo:E tudo o que pedirem em oração [...] receberão” (Mateus 21.22).

Nesta lição, as crianças aprenderão que podemos falar com o Papai do Céu através da oração e pedindo alguma bênção e Ele nos atende. Foi assim com Salomão que pediu inteligência e recebeu o que pediu. 

Considerando que nesta faixa etária o período de atenção da criança é muito curto, achamos interessante citar um trecho retirado do livro Como ensinar crianças do maternal: Não é tão fácil mas aqui está como fazer, da autora Ruth Beechick, publicado pela CPAD.

“O Mito do Período de Atenção

Existem muitas fórmulas para se chegar ao tempo de atenção das crianças em termos de minutos. A mais comum consiste em utilizar a idade da criança mais um. Ou seja, uma criança de três anos teria um período máximo de atenção de quatro minutos. Isto não é só um mito, como também é um meio inútil de se raciocinar com relação à atenção. Em vez de refletirmos sobre a atenção infantil em termos de minutos, deveríamos considerá-la sob o prisma das tarefas. A tarefa que propomos está num nível de dificuldade apropriado para nosso aluno? Ele a realiza até o fim? Com o nível de dificuldade adequado, uma criança pode, e frequentemente consegue, dar atenção à atividade proposta.

O mito do período de atenção se iniciou com algumas pesquisas que analisavam por quanto tempo uma criança conseguia se concentrar numa determinada atividade imposta pelo professor. Entretanto, tais testes foram feitos em situações experimentais. Se os pesquisadores tivessem observado menininhos brincando naturalmente com seus caminhões, derramando areia em baldinhos, ou uma criança sentada no colo de sua mãe, vendo as gravuras de um livro, os resultados de suas pesquisas teriam sido muito diferentes. Qualquer um que trabalhe com crianças sabe que em algumas ocasiões, com determinadas tarefas, o tempo de atenção delas pode ser surpreendentemente longo.

Portanto, não há nenhum fator interno que delimite a atenção das crianças num período específico de tempo. Consequentemente, o tempo não é o fator apropriado para o estudo da atenção infantil. Muito mais relevante é avaliar que tipo de tarefa atrai a atenção desses pequeninos e quais são as características essenciais nestas atividades — nível de dificuldade, características sinestésicas (de movimento) e visuais, e assim por diante. Como devemos preparar e apresentar as atividades de forma que lhes chame a atenção? Como podemos tornar o momento da história mais interessante que caminhões e areia?

Precisamos aprender a nos concentrar na atenção infantil, e não no tempo da atenção infantil.”

Deus abençoe a sua aula e os seus alunos!

Verônica Araujo
Editora da Revista Berçário

Cadastre-se e receba ofertas e novidades por e-mail.