Lição 12 Um Presente Especial para o Papai

1º Trimestre de 2020

Objetivos: Os alunos deverão acreditar que Jesus Cristo pode resolver qualquer problema; e saber que o poder de Jesus Cristo não tem limites. 

É hora do versículo:[...] Deus me deu todo o poder no céu e na terra.” (Mt 28.18)

Nesta lição as crianças conhecerão a história de Jairo, um homem importante da sinagoga que estava com sua filhinha muito doente. Como Jesus Cristo pode resolver qualquer problema, o papai Jairo creu e viu que o poder de Jesus Cristo não tem limites quando curou a sua filhinha. 

Para o professor lograr êxito em sua aula, é fundamental que a forma como vai apresentar as histórias para os alunos seja sempre aprimorada. 

“Primeiramente, devemos esclarecer que tratamos aqui da leitura de histórias. Não estamos defendendo a leitura de uma lição bíblica para as crianças. Algumas lições bíblicas contém histórias que podem ser lidas ou contadas, de acordo com a preferência do professor. Outras lições não apresentam as histórias bíblicas como histórias. Normalmente utilizam uma história como base, entremeando-a com a pregação ou outro “ensinamento”. Este tipo de lição bíblica não se destina à leitura oral, mas nada impede que se acrescente a leitura de uma história. 

Um dos pontos mais importantes na apresentação de histórias é o tom de voz. Não é necessário fazer a dramatização da história, a não ser que o professor tenha um talento especial para isso. Contudo, ao contar histórias, o professor deve aprender a usar as inflexões normais de voz, com expressão. A inexperiência ou o “medo do palco” geralmente, leva o professor a aumentar o tom de voz, e isto excita as crianças, enquanto que o tom de voz baixo as tranquiliza. 

Os inexperientes podem também cometer o erro de ler muito rápido. Isto torna difícil para as crianças compreenderem todas as palavras e acompanhar o raciocínio. Por outro lado, a leitura muito lenta contribui para o devaneio e a perda do interesse pela história.

A leitura deve ser um pouco mais lenta que uma conversação normal, numa velocidade que permita a enunciação de cada palavra, sem afetação. Ou seja, a leitura deve fluir naturalmente, lembrando-se que o pensamento daquele que vê e lê as palavras se processa mais rapidamente que o daqueles que ouvem a história, pois estes dependem do sentido da audição e das imagens internas. Para obtermos efeitos especiais, podemos usar variações no tom de voz e na velocidade da leitura. Excitação, suspense e outros estados de espírito intensificam-se com a leitura mais rápida ou mais lenta. Se o professor viver e apreciar a história tanto quanto seus alunos, instintivamente saberá o que fazer. Com um pouco de prática, todas estas técnicas serão usadas com naturalidade.”  Como ensinar crianças do Jardim de Infância: Compreendendo e educando crianças de 4 e 5 anos. Rio de Janeiro: CPAD, 2003,  pp.68,69)

Deus abençoe a sua aula e os seus alunos!

Verônica Araujo
Editora da Revista Jardim de Infância

Cadastre-se e receba ofertas e novidades por e-mail.