Lição 3 - Os Muros vão ao chão

 2º Trimestre de 2019

Josué 6.1-20,27.

Prezado(a) professor(a),

Na aula de hoje seus alunos aprenderão um pouco mais a respeito do cuidado com o seu povo. Continuando a caminhada pelo deserto rumo à posse da Terra Prometida, Josué, agora líder da nação de Israel, estava prestes a enfrentar a cidade de Jericó. Uma grande cidade cercada por um largo e alto muro que protegia os seus moradores dos ataques de povos inimigos. Mas Deus havia falado que entregaria a cidade de Jericó nas mãos de Josué. Tudo o que o líder do povo hebreu tinha de fazer era obedecer às ordens de Deus e seguir, estrategicamente, rumo à vitória.“Jericó, construída milhares de anos antes do nascimento de Josué, era uma das mais antigas cidades do mundo. Em alguns lugares, ela possuía muros com 7,5 metros de altura e 6 metros de espessura. Os soldados que montavam guarda em cima dos muros podiam ser vistos a quilômetros de distância.

Jericó era um símbolo de poder e força militar — os cananeus a consideravam invencível. Israel atacaria esta cidade primeiro, e sua destruição faria com que todos em Canaã tivessem medo de Israel. Os cananeus viam o Deus de Israel como uma divindade da natureza, porque Ele separara o Jordão, e como um senhor de guerra, pois derrotara Seom e Ogue; mas não o consideravam o Todo-Poderoso — aquele que prevalecia sobre uma cidade fortificada. A derrota de Jericó não apenas mostrou que o Deus de Israel era superior às divindades cananeias, mas também que ele era invencível.[...]

Por que Deus concedeu a Josué todas estas complicadas instruções para a guerra? (1) Deus deixava claro que a batalha dependeria dEle, e não das armas e da perícia de Israel. Este é o motivo pelo qual a Arca, que levava os israelitas para o confronto, deveria ser carregada pelos sacerdotes, não pelos soldados; (2) o método de Deus para tomar a cidade acentuava o terror já sentido em Jericó (Js 2.9); e (3) esta estranha manobra militar era um teste para a fé dos israelitas e sua disposição para seguir a Deus completamente. O soar das trombetas possuía um significado especial. Eles foram instruídos a tocar as mesmas trombetas usadas nas festas religiosas em suas batalhas para lembrar-lhes que sua vitória viria do Senhor, não de seu próprio poderio militar (Nm 10.9)” (Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. Rio de Janeiro: CPAD, 2003, p. 284).

Para reforçar o ensino da aula de hoje, sugerimos a seguinte atividade:

Providencie uma caixa de presente e cartões com os desenhos: arca, espada, fogo, vaso, trombeta e soldado. Coloque os cartões dentro da caixa. Peça que os alunos formem um círculo. A criança que estiver com a caixa na mão deverá abrir a mesma e pegar um cartão. Peça que ela, utilizando apenas gestos, mímica, diga para a turma o que está no cartão. Se as crianças não conseguirem acertar o aluno deverá desenhar no quadro. Conclua a atividade fixando os desenhos no quadro e explicando o significado de cada desenho: arca – é o símbolo da presença de Deus no meio do seu povo; espada – simboliza a Palavra de Deus; fogo – é o poder do Espírito Santo; vaso – somos vasos moldados pelas mãos do Senhor e devemos estar quebrantados na presença de Deus; trombeta – simboliza a adoração ao Deus Todo-Poderoso; soldado – somos os soldados de Cristo preparados para toda boa obra.(Atividade adaptada do livro Boas Ideias para Professores de Educação Cristã. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2015, p. 59).

Cadastre-se e receba ofertas e novidades por e-mail.