Lição 13 - As Dez Moças

4º Trimestre de 2019

Texto Bíblico – Mateus 25.1-13.

Prezado(a) professor(a),

Estamos na última lição deste trimestre e esperamos que seus alunos tenham aprendido mais sobre as histórias que Jesus contou. As histórias, ou parábolas como são conhecidas, trazem ricos ensinamentos que são de suma importância para o crescimento espiritual de qualquer servo de Deus.

E, para encerrarmos de forma alegre, na lição de hoje vamos estudar a respeito da vigilância. Jesus ensinou aos seus discípulos que era necessário “vigiar”. No contexto deste episódio bíblico, vigiar não se resume apenas a estar alerta em relação a algum acontecimento eminente, e sim estar preparado para o principal evento, pelo qual, a igreja espera: a volta de Cristo.

Há muitas outras histórias que Jesus contou que servem de alerta para a igreja dos dias atuais quanto à vigilância, mas nenhuma delas é tão esclarecedora quanto à história das dez moças. Cada elemento encontrado com detalhes nesta história revela a importância do cuidado com a vida espiritual para que não sejamos surpreendidos com o retorno do nosso Salvador.

De acordo com Lawrence O. Richards em o Comentário Histórico-cultural do Novo Testamento (2007, p. 80):

[...] Um casamento típico tinha amigas da noiva esperando na casa dela. Elas esperavam pelo noivo, que deveria vir buscar a noiva para levá-la à sua casa.

[...] Em nossa parábola, dez jovens mulheres são escolhidas entre as amigas da noiva. Cada uma delas tem uma lâmpada, mas somente cinco trouxeram azeite para enchê-las. Como a luz é símbolo de felicidade, velas e lâmpadas eram equipamento essenciais para a festa de casamento. Normalmente os visitantes de fora da cidade compravam azeite ou velas na cidade onde tinha lugar o casamento, embora alguns trouxessem essas coisas com eles. É provável que as cinco virgens, despreparadas, esperassem conseguir azeite no último minuto, mas adormeceram, e quando acordaram já era tarde demais.

Na ocasião em que seria possível que elas fossem aos que o vendiam e o comprassem para si mesmas (Mt 25.9), a procissão do casamento já teria se deslocado pelas ruas e chegado à casa do noivo. Como era costume, depois que os convidados entravam na casa a porta era trancada. As cinco bateram, mas era tarde demais para que as virgens despreparadas se unissem às festividades.

Assim, também, todos os crentes precisam se precaver quanto ao preparo para a Vinda do Noivo. Dentre as lições que aprendemos com essa história, temos uma que é relevante quanto ao cuidado com a vida espiritual: não devemos deixar para última hora o que precisamos fazer hoje. Há certos cuidados que mantemos com as diversas áreas da nossa vida, porém alguns devem ser considerados como prioridade. E a nossa comunhão com Deus é prioridade.

Aproveite o assunto da aula de hoje e reflita com seus alunos a respeito da importância do devocional diário. Orar e estudar a Palavra de Deus são ações que devem ser repetidas constantemente até que se tornem hábitos. Fato é que assim como o corpo precisa do alimento para se manter saudável, a Palavra de Deus é o alimento que fortalece a alma e mantém o crente vivo espiritualmente. A leitura e a oração são hábitos que devemos praticar com disciplina e perseverança.

Para reforçar o ensinamento da lição de hoje, sugerimos a seguinte atividade:

Confeccione, juntamente com os alunos, cartões em formato de lâmpadas. Cada aluno deverá ter em mãos duas lâmpadas: uma com a chama acesa e a outra apagada. Peça aos alunos para pintarem ou decorarem os cartões. Em seguida, na lâmpada que está com a chama acesa os alunos devem escrever tudo quanto é necessário fazer para que a chama do Espírito Santo se mantenha acesa em nossas vidas e assim estejamos preparados para o retorno de Cristo. Na lâmpada, cuja chama está apagada os alunos deverão escrever tudo quanto ocorre para desanimar o crente a fim de que ele não sinta mais a necessidade de se encher com o Espírito Santo. Ao final, converse com os alunos e peça que expressem o que anotaram.

Cadastre-se e receba ofertas e novidades por e-mail.