Lição 8 - O Amigo Querido

1º Trimestre de 2020

Texto Bíblico – João 11.1-44.

Prezado(a) professor(a),

Na lição desta semana seus alunos conhecerão um amigo de Jesus muito especial. Alguém que o Mestre estimava muito, Lázaro era o seu nome. Jesus tinha o costume de passar em Betânia e ali tinha uma amizade calorosa com a família de Lázaro. Eram três irmãos: Marta, Maria e Lázaro, os quais, Jesus muito amava.

Certo dia, um de seus amigos, Lázaro, ficou muito doente e suas irmãs enviaram um mensageiro para avisar o Mestre a respeito do que se passava. Assim que recebeu a mensagem, contrariando a lógica, Jesus decidiu ficar onde estava por mais dois dias e, somente depois, partiu em direção à Betânia. Quando Jesus chegou a Betânia estavam todos muito entristecidos, pois Lázaro já havia falecido. Como poderia Jesus ter permitido tal sofrimento acometer seus amigos? As irmãs de Lázaro lamentaram e disseram a Jesus que se Ele estivesse ali presente, certamente, o irmão delas não teria morrido.

A história de hoje tem muito a nos ensinar no que diz respeito ao agir de Deus em nossas vidas. Deus opera de uma maneira que muitas vezes não compreendemos, mas, ao final, somos surpreendidos por sua graça.Deparar-se com uma situação semelhante a esta nos faz pensar profundamente em relação à confiança que depositamos em Deus em meio às circunstâncias. Aprender a confiar em Deus mesmo quando as nossas orações não são atendidas do modo como esperamos é um desafio que seus alunos devem encarar desde cedo. Infelizmente, em muitos lugares tem sido ensinado um evangelho que não experimenta o sofrimento, apenas vitórias, quando na verdade o próprio Jesus afirmou que deveríamos ter bom ânimo, pois Ele havia vencido o mundo (cf. Jo 16.33).

O comentário da Bíblia de Estudo Pentecostal (1995, p. 1594) traz algumas observações relevantes a respeito da demora de Jesus em sua ida até Betânia:

Jesus adiou sua ida para ir ver a família que amava (v. 6), a fim de fortalecer a fé, tanto deles, como dos discípulos, e para fazer-lhes um bem maior. Inicialmente, os atos de Jesus aparentemente indicam que Ele não estava interessado, nem compadecido pelo sofrimento deles. Não era nada disso, pois João destaca repetidas vezes que Jesus amava a família e compartilhava da sua tristeza (vv. 3,5,35). Jesus tinha um cronograma e um propósito diferentes daquilo que eles queriam. O cronograma e a vontade de Deus, quanto às nossas provações ou aflições, talvez sejam diferentes do nosso desejo. Deus no atende de conformidade com a sua sabedoria e amor.

Atentar para o que ensina a Palavra de Deus no tocante à vontade divina é um exercício contínuo da fé. A cada dia somos submetidos a enfrentar situações complexas que colocam a nossa fé à prova. Mas Deus, que exerce o domínio sobre todas as coisas, permite que passemos por situações difíceis para o nosso próprio proveito e crescimento (cf. Rm 8.28). Com base nessas informações, sugerimos a seguinte atividade a ser aplicada em sala de aula:

Organize o espaço da sala de modo que os alunos deverão percorrer um circuito. Se preferir, você pode utilizar as cadeiras e mesas como obstáculos. Peça que os alunos formem duplas. Um integrante da dupla deverá estar vendado com uma tira de pano. O outro integrante da dupla tem a missão de ajudar seu companheiro a fazer o percurso do circuito sem esbarrar nos obstáculos. Ao iniciar a brincadeira o aluno que será o guia deverá dizer: “Lázaro, venha para fora”. E o aluno vendado dará início ao percurso seguindo as observações do seu amigo. Vence a brincadeira a dupla que cumprir a atividade sem esbarrar nos obstáculos. Ao final, explique aos seus alunos que do mesmo modo somos encorajados a seguir a orientação de Jesus ainda que não estejamos vendo nada acontecer. “Se creres verás a glória de Deus”, disse Jesus. 

Cadastre-se e receba ofertas e novidades por e-mail.