Lição 12 - O Amigo Desconfiado

1º Trimestre de 2020

Texto Bíblico – JOÃO 20.19-29.

Prezado(a) professor(a)

Na aula desta semana seus alunos estão convidados a conhecer mais um personagem intrigante que compunha o círculo de amizade de Jesus. Esse personagem tem muito a nos ensinar, tendo em vista que umas de suas características mais peculiares é a desconfiança. Tomé é o seu nome, um discípulo de Jesus que fazia parte dos doze que foram escolhidos para o apostolado. O episódio mais marcante que identifica Tomé nos evangelhos é o momento após a ressurreição de Cristo. Tomé não estava com os outros discípulos quando Jesus apareceu. As portas já estavam fechadas e os discípulos com muito medo de serem perseguidos pelos líderes judeus.

Quando Tomé ouviu dos demais discípulos que Jesus havia ressuscitado, sua reação imediata foi questionar se aquele fato extraordinário realmente era verdade. Então, Tomé declara a frase que o marcou por toda a história: “Se eu não vir o sinal dos cravos em suas mãos, e não puser o dedo no lugar dos cravos, e não puser a minha mão no seu lado, de maneira nenhuma o crerei” (cf. Jo 20.25). Desde então Tomé ficou conhecido como o discípulo que duvidou ou o discípulo incrédulo. Entretanto, alguns aspectos devem ser considerados nesta história.

Em primeiro lugar é importante enfatizar que não foi fácil para nenhum dos discípulos verem a pessoa que eles mais amavam morrer de maneira tão injustiça e sangrenta como foi a morte de Jesus. Além disso, a dúvida de Tomé era um esforço do discípulo em não se deixar levar pela emoção do momento, ou mesmo um desejo sincero de não permitir que os seus amigos e irmãos se enganassem com uma suposta “aparição de Jesus”. Embora a intenção de Tomé tenha sido sincera, de fato, sua fé estava tão bloqueada que Jesus precisou tratar dos olhos espirituais de Tomé para que ele cresse que aquEle que ali estava não era um fantasma, mas o próprio Senhor e Deus ressurreto.

Jesus compreende quando algo acontece conosco que nos leva a sentir dúvidas se realmente é o poder de Deus que está se manifestando. Deus deseja tratar dos nossos olhos espirituais para que possamos crer no que Ele pode realizar em nossas vidas. Por esse motivo, caro professor, cumprir o propósito para o qual Deus o chamou requer fé genuína. Seus alunos esperam encontrar em você uma pessoa convicta do que está ensinando. Não alguém que tem dúvida se a Palavra de Deus é a verdade ou não. Sim! A Palavra de Deus é a Verdade que liberta! Mostre aos seus alunos que podemos crer mesmo nos momentos em que a nossa fé é colocada à prova. Recorte de jornais e revistas e leve para a sala de aula fotos e figuras da natureza criada por Deus, a forma como Deus nos formou, etc. Leve seus alunos à refletir sobre a existência de Deus como o Criador Soberano de todas as coisas. É importante que seus alunos interpretem esta verdade e tenham a convicção de que não existe outro caminho.

Tenha uma boa aula! 

Cadastre-se e receba ofertas e novidades por e-mail.