Lição 6 - Os profetas em Israel

2º Trimestre de 2019

“Mas o SENHOR me tirou de após o gado e o SENHOR me disse: Vai e profetiza ao meu povo Israel” (Am 7.15).

OBJETIVOS
Apresentar as características da liderança profética;
Justificar a necessidade da liderança profética na atualidade;
Associar o profetismo à justiça social.

ESBOÇO DA LIÇÃO
1. O QUE É SER UM PROFETA?
2. O MODELO DE LIDERANÇA PROFÉTICA NO AT
3. AMÓS, UM CLÁSSICO TIPO DE PROFETA DO AT
4. O MINISTÉRIO PROFÉTICO COMO LIDERANÇA DO POVO

Querido (a) professor (a), no próximo domingo vamos analisar o tema do nosso trimestre, isto é, liderança, contudo nesta aula sob a função do profeta. Devido a excessos e até mesmo desvios de algumas pessoas no meio pentecostal e neopentecostal, este dom talvez tenha caído em descrédito ou mesmo o entendimento sobre o real significado de um legítimo profeta tenha sido deturpado para muitos. Por isso é crucial esclarecer o papel, a importância desse servo que o Senhor levanta para orientar, exortar e guiar o seu povo pelo caminho que se deve andar.

Liderar como profeta pode ser uma das mais árduas formas de liderança, já que comumente o profeta é levantado por Deus para corrigir a rota de seu povo, quando a maioria encontra-se desviada. A sua mensagem quase sempre não é fácil ou de imediato do agrado de seus ouvintes. Portanto, é necessária muita comunhão com Deus para suportar a pressão da maioria sem se deixar levar por ela, é preciso demasiada coragem e autenticidade para tal. 

Para ampliar o desafio, esta maioria não era pagã, os de fora da igreja, como se pode pensar; ao contrário, a mensagem era endereçada ao Israel de Deus, a quem estava ou se dizia estar nos caminhos do Senhor. Como confrontar quem se acha e aparenta estar certo? Pense que desafio! Proponha esta reflexão aos seus Juvenis. 

E para ilustrar de forma ainda mais palpável e compreensível para a classe proponha um exercício de empatia, que eles se coloquem no lugar dos profetas e como seria nos dias de hoje.   Por exemplo: Você consegue imaginar ser usado por Deus para confrontar o presidente!? Expor os pecados dele quando a maioria do povo de Deus o aclama?! Corrigi-lo, enquanto muitos crentes o ovacionam? Pois foi exatamente o que o Senhor pediu a Natã quando este foi até Davi! (Leia 2 Sm 12.1-15). 

E o que dizer se mais de 400 profetas estivessem apoiando e favorecendo os planos e atitudes do presidente, você teria coragem de ser a única voz a dizer o contrário?! Pois foi exatamente o que aconteceu a Micaías frente ao tirano Acabe, mesmo correndo o risco da impopularidade, exclusão de seu círculo social, cárcere e até mesmo a execução. Ainda assim ele cumpriu o seu papel com ousadia e obediência. (Leia 2 Cr 18).

Elias, Jeremias, Amós (o profeta destacado em nossa lição) e tantos outros exemplos de profetas solitários, vozes que clamaram no deserto, que foram punidos, exilados, excluídos e mortos por proclamarem a verdade de Deus, mesmo quando esta contrariava as massas, reis e sacerdotes. Incentive a seus alunos a desejarem ser este tipo de profeta, fiel a Deus acima de tudo e todos, corajoso, ousado e obediente.

Para aprofundar ainda mais os seus estudos sobre o tema, segue abaixo um artigo do grande e saudoso mestre, pastor Antônio Gilberto, publicado pelo nosso portal CPAD News. Caso deseje ler o artigo completo, basta clicar aqui.

Quando estudamos a atividade profética na Bíblia Sagrada, encontramo-la manifestando-se em três aspectos distintos.

Em primeiro lugar, vemos a profecia como ministério permanente recebido de Deus no Antigo Testamento, em Israel (Hb 1.1; 2Pe 1.19 e Jr 35.15).

Em segundo lugar, identificamos no Novo Testamento a profecia como um dom ministerial na Igreja (Ef 4.11-13; 1Co 12.28-29 e Ef 2.20).

Por fim, vemos ainda no Novo Testamento a profecia como dom espiritual na Igreja, na congregação (At 2.17-18; 1Co 12.10; 14.1-4, 29-40; Rm 12.6-8). 

Profecia no Novo Testamento

Falaremos nesse ponto sobre o dom ministerial de profeta no Novo Testamento. Trata-se do ministério profético na Nova Aliança. Não confundir com o dom de profecia.

O termo profeta, como já vimos, significa literalmente porta-voz, como em Êxodo 7.1 e Lucas 1.70. Essa é a ideia do ministério profético.

As diferenças entre o ministério profético (dom ministerial) e o dom de profecia são as seguintes:

1) O ministério profético não é para todos. “São todos profetas?”, 1Co 12.29. Em Éfesios 4.11, Paulo diz que Deus “deu uns” para profetas. O dom espiritual de profecia, ao contrário, é para todos: “Todos podereis profetizar”, 1Co 14.31.

2) O dom de profecia é uma capacitação sobrenatural do Espírito Santo concedida a uma pessoa da congregação, do povo, para transmitir a mensagem de Deus. O ministério profético resultante do respectivo dom ministerial é, por sua vez, exercido através de um ministro dado por Deus à Igreja.

A profecia no ministério profético, como aqui abordado, não é a pregação comum. É uma mensagem divina revelada no momento, ao passo que a pregação habitual é estudada, preparada (1Tm 5.17b).

3) No dom de profecia, Deus usa principalmente o aparelho fonador da pessoa; no ministério profético, Deus usa principalmente a mente da pessoa.4) O dom de profecia tem âmbito local, congregacional; o dom ministerial tem âmbito geral e itinerante (At 11.27; 13.1,3 e 15.32-3

4).Precisamos de ambos hoje na Igreja! (Pv 29.18; At 15.32). A Bíblia diz, em Atos, que os “profetas exortaram e confirmaram os irmãos com muitas palavras”.

A unção divina sobre o profeta costuma ser repentina. No mestre, costuma ser durativa.

O forte do profeta como dom ministerial é expor os padrões de justiça divina para o povo. O profeta é um arauto da santidade de Deus. O seu espírito ferve com isso. Ele foi chamado para isso, geme por causa disso, da santidade de Deus e de tudo o que é dEle!

A mensagem de Deus sai da mente e da boca do profeta como chamas de fogo santo e divino. João 5.35 diz de João Batista, o profeta: “Ele era candeia que ardia”. O profeta de Deus faz o carnal estremecer, parar e considerar o seu mau e tortuoso caminho (At 24.24-25). O profeta recebe de Deus amplas revelações divinas (Ef 3.5).

O Senhor te abençoe e capacite. Boa aula!

Paula Renata SantosEditora Responsável pela Revista Juvenis da CPAD

Cadastre-se e receba ofertas e novidades por e-mail.