Lição 4 - Ética na Família

3º Trimestre de 2019

Portanto, deixará o varão o seu pai e a sua mãe e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma só carne” (Gn 2.24).

Esboço da Lição
1. O QUE É FAMÍLIA?
2. A IMPORTÂNCIA DA FAMÍLIA
3. A VONTADE DE DEUS PARA A FAMÍLIA

Objetivos
Conceituar biblicamente família;
Destacar a importância da família;
Apresentar a vontade de Deus para a família.

Querido (a) professor (a), na aula do próximo domingo vamos falar sobre ética no ambiente familiar. Afinal, toda a educação, princípios e até mesmo ministério devem ter sua base e principal manifestação dentro de casa. É como dizem, quem verdadeiramente conhece uma pessoa é quem convive com ela debaixo do mesmo teto, observando seu comportamento quando ninguém mais está olhando, em momentos bons e momentos ruins. 

É interessante falar sobre ética no seio familiar; porque a primeira vista soa como algo óbvio, que nem necessitaria ser discutido. Entretanto, na prática não funciona assim. Quanto maior a intimidade, proximidade, mais alguns se sentem “desobrigados” de serem éticos, educados, de agirem com total honestidade, bom trato e testemunho. Quer conhecer uma pessoa realmente? Observe como ela age dentro de sua casa. Como trata os seus entes mais chegados e o que estes dizem sobre ela.

Levante essa reflexão em classe. Faça perguntas do tipo: Como você se comporta com as pessoas que mais tem intimidade, as que convivem com você? Como as trata quando está num dia difícil? O que seu (a) melhor amigo (a) ou namorado (a) falaria sobre você é o mesmo que sua mãe, pai, irmãos falariam? Eles concordariam entre si que você é uma pessoa ética, um bom seguidor de Cristo? Se não, temos refletir no porquê; repensar nosso comportamento. Pois todo bom proceder, bom testemunho deve começar em nosso lar. Quem você é quando ninguém mais está olhando? Podemos enganar a muitos e até nós mesmos, mas ao Senhor ninguém engana.

Professor (a), ao abordar um tema como este é primordial que você contemple todos os tipos de realidade e não apenas a dos alunos que possuem uma família cristã. Um número enorme de juvenis convive em situações conflituosas em casa – pais depressivos, suicidas, alcoólatras, agressivos, dependentes químicos, etc. A Igreja jamais pode se omitir frente a essas mazelas sociais, ainda mais em um país como o nosso, onde o índice de abandono parental, por exemplo, é um dos maiores do mundo. 

Evidentemente, que ainda que nossos pais não sejam cristãos, sejam quem sabe até mesmo pessoas antiéticas, infratores, etc., o nosso proceder deve ser de luz em meio às trevas. Contudo, há que se averiguar caso a caso. Esteja atento aos seus juvenis. Quer por vergonha ou até coação, muitos não pedem ajuda, não compartilham situações ruins que vivenciam em seus lares. Por isso, esteja atento. 

Ore ao Senhor por cada vida preciosa em sua classe, que Ele lhe confiou e coloque-se sempre a disposição de todos, caso desejem conversar em particular após a aula. Estabeleça um vínculo de acolhimento e confiança com seus alunos. Isto pode fazer toda diferença em suas vidas e também no seu ministério.

O Senhor lhe abençoe e capacite! Boa aula.

Paula Renata Santos
Editora Responsável pela Revista Juvenis da CPAD

Cadastre-se e receba ofertas e novidades por e-mail.