Lição 5 - Ética Cristã na Valorização da Vida

3º Trimestre de 2019

“Vede, agora, que eu, eu o sou, e mais nenhum deus comigo; eu mato e eu faço viver; eu firo e eu saro, e ninguém há que escape de minha mão” (Dt 32.39).

Esboço da Lição
1. POR QUE SOMOS CONTRA O ABORTO
2. POR QUE SOMOS CONTRA A EUTANÁSIA
3. DEUS É O AUTOR DA VIDA

Objetivos
Explicar por que somos contra o aborto; 
Mostrar porque somos contra a eutanásia;
Demonstrar que Deus é o autor da vida.

Querido (a) professor (a), pela faixa etária de seus alunos eles estão prestes a ingressar na universidade – o que é uma dádiva, especialmente se tratando de nosso País. Por muito tempo, a postura de muitas igrejas foi “demonizar” este ambiente acadêmico. Contudo, hoje se entende com mais clareza a sua importância, até mesmo para o avanço do Reino de Deus. 

O nosso dever não é amedrontar o jovem ou impedi-lo de estar nas universidades, mas sim prepará-lo solidamente para viver este momento; transitar por ideologias, grupos diversos, bandeiras políticas e assuntos dos mais polêmicos, guardando sua identidade, individualidade, caráter e, sobretudo guardando sua fé. 

Um destes temas muito em voga no meio é a descriminalização do aborto. Vez ou outra tramita no Congresso Nacional projetos de Lei que visam descriminalizar o aborto até o terceiro mês de gestação. Outro assunto bem atual e preocupante no tocante à ética cristã e valorização à vida é o alcance e possíveis danos do decreto do presidente Jair Bolsonaro flexibilizando as regras para aquisição, cadastro, registro, posse, porte e comercialização de armas de fogo e munições. 

Como cristãos, não podemos ser incoerentes, relativizando a morte de seres humanos por serem infratores. É inconcebível se quer imaginar Jesus Cristo defendendo o lema: “Bandido bom é bandido morto”. No entanto, por que muitos que se dizem seus imitadores, discípulos, cristãos, isto é, “pequenos Cristos” estão proclamando esta atrocidade?! Para a genuína Igreja do Senhor, bandido bom é bandido convertido, regenerado pelo sangue do Cordeiro, que salvou a todos nós – igualmente imerecedores de tamanha graça.

Sugerimos que, com base nestes temas bastante atuais, ao final da aula você promova um debate em classe acerca destas questões. Procure duas matérias de cada assunto nos sites de notícias e leia suas manchetes (títulos) para a turma, pedindo que opinem sobre elas. Medie a discussão, levantando reflexões bíblicas acerca da graça e proposta de Jesus, que disse ter vindo não para os são ou “justos”, mas sim para os enfermos e vis pecadores (Mateus 9.11-13; Lucas 5.32).

Respeitemos a vida humana, quer em sua fase embrionária, quer em seu estágio fetal, quer na sua condição adulta como um infrator. Não nos esqueçamos de que o Verbo Divino, ao fazer-se homem, passou por ambas as situações, passou pelo útero de uma mulher e já adulto foi contado entre os transgressores (Cf Is 53.12) e mesmo justo foi punido como um criminoso.  Peça que sua turma reflita na frase: Os que defendem o aborto, a pena de morte, a posse de armas de fogo (que comprovadamente aumenta o índice de violência e morte) teriam hesitado em assassinar o próprio Cristo?!

O Senhor lhe abençoe e capacite! Boa aula.

Paula Renata Santos
Editora Responsável pela Revista Juvenis da CPAD

Cadastre-se e receba ofertas e novidades por e-mail.