Lição 5 - A Grande Tribulação

4º Trimestre de 2019

“Porque haverá, então, grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco haverá jamais” (Mt 24.21).

OBJETIVOS
Conceituar “Grande Tribulação”;
Explicar como será a Grande Tribulação;
Mostrar para quem será a Grande Tribulação.

ESBOÇO DA LIÇÃO
1. O CONCEITO DE GRANDE TRIBULAÇÃO
2. A MANIFESTAÇÃO DO ANTICRISTO
3. A ABERTURA DOS SETE SELOS
4. A MARCA DA BESTA

Querido (a) professor (a), é muito interessante instigar seus alunos a continuarem os estudos para além da sala de aula. Portanto, prepare algumas questões ligadas ao tema do domingo seguinte para que os juvenis possam ler em casa a respeito e trazer as respostas na próxima aula. Premie de alguma maneira aos que trouxerem e instigue a participação de todos os demais. 

deixados para trasUma outra atividade extraclasse que pode ser realizada em conjunto e com grande êxito é cinematográfica. Que tal uma “sessão pipoca” exibindo o clássico filme cristão “Deixados Para Trás”?! Nele vários temas propostos no trimestre são abordados de uma maneira interessante e podem ser debatidos no decorrer das lições.

Além de todo conteúdo pedagógico presente em sua revista, lhes deixamos abaixo, como subsídio extra, um artigo para esclarecer e aprofundar ainda mais alguns tópicos da lição deste próximo domingo. 

O texto é de autoria do teólogo, pedagogo, professor da FAECAD e autor de diversos livros da CPAD, Esdras Costa Bentho.

Haverá Salvação durante a Grande Tribulação?

Haverá salvação na Grande Tribulação? Se houver, será por meio do sangue do mártir ou do sangue de Cristo? 

Será por iniciativa pessoal ou por agência do Espírito Santo? O que a Bíblia diz a respeito do temário?

Essas perguntas são frequentes e comuns entre os crentes interessados pela Escatologia Cristã. Neste breve artigo, explicamos de modo objetivo e prático essas importantes indagações a respeito da soteriologia escatológica.

A Salvação será pela graça mediante a fé

Haverá salvação durante a Grande Tribulação segundo Apocalipse 7; 12.11 e 14.4. As descrições nestes textos confirmam que a salvação será mediante o sangue de Cristo.

O conceito popular entre os cristãos de que a salvação durante este período se dará mediante o sangue ou morte do próprio indivíduo necessita de alguns esclarecimentos. Inicialmente, nenhum daqueles que mantiverem a sua crença em Cristo neste período será salvo por ter sido morto pela figura enigmática do Anticristo. A salvação não é por qualquer ato de justiça que possamos efetuar. O único meio através do qual o crédulo deste período será salvo é mediante a agência do sangue de Cristo: “E eu disse-lhe: Senhor, tu sabes. E ele disse-me: Estes são os que vieram de grande tribulação, lavaram as suas vestes e as branquearam no sangue do Cordeiro. Por isso estão diante do trono de Deus e o servem de dia e de noite no seu templo; e aquele que está assentado sobre o trono os cobrirá com a sua sombra” (Ap 7.14-15 – grifo nosso).

O princípio da salvação pela graça mediante a fé ainda continua válido para esses dias de grandes agruras, o princípio do versículo 6 [Hb 1.11-40], sem fé é impossível agradar a Deus, não se limita à presente era, mas vale para todas as épocas . É assim que se entende o texto de Apocalipse 12.11: “Eles, pois, o venceram por causa do sangue do Cordeiro e por causa da palavra do testemunho que deram e, mesmo em face da morte, não amaram a própria vida”. (grifo nosso)

No primeiro agente, o sangue, encontramos a graça, pois se refere ao sacrifício voluntário e gratuito de Cristo a favor da humanidade e, somente depois, a segunda agência, a fé, mediante a qual a pessoa confessa sua incapacidade de se salvar e aceita os postulados do Calvário: “e por causa da palavra do testemunho que deram e, mesmo em face da morte, não amaram a própria vida”.  

Mesmo a salvação sendo operada através do sangue de Cristo, torna-se-á necessário a manifestação da fé do mártir na obra efetuada por Cristo. Isto o indivíduo afirmará através de sua fé por meio de sua própria morte. Neste caso, o crédulo desse tempo não é salvo porque deu a sua vida, mas porque o seu sangue derramado na morte testifica e confirma a sua fé no sacrifício vicário de Cristo.

A salvação será através da ação do Espírito Santo

Alguém pode perguntar: “Como alguém poderá crer no sangue de Cristo durante a Grande Tribulação?”. A resposta a esta pergunta está clara através de todo o Novo Testamento: através da agência do Espírito Santo. A respeito da ação salvífica do Paracleto, Jesus afirmou: Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo: do pecado, porque não crêem em mim; da justiça, porque vou para o Pai, e não me vereis mais; do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado. O mesmo princípio é ratificado em João 3.5,6. A diferença entre a atuação do Espírito no tempo da Graça para os dias da Grande Tribulação é, que, na Graça, o Espírito habita no crente, enquanto na Grande Tribulação, assim como no Antigo Testamento, o Espírito não habitará no crédulo. Assim, distinguimos entre a regeneração efetuada pelo Espírito e a habitação do Espírito no crente. Mesmo que o Espírito não habite no crente no tempo da Grande Tribulação isto não O impedirá de efetuar a regeneração nessa pessoa.

Os Resultados da Salvação

Os textos que tratam da salvação neste período tribulacional indicam vários resultados da salvação:

a) Haverá purificação pessoal: Passagens como Apocalipse 7.9,14 e 14.4 mostram claramente que o indivíduo salvo é aceito por Deus. Em nenhuma outra base o indivíduo poderia estar “diante do trono de Deus”.

b) Haverá salvação nacional: A preparação de tal nação (veja Ez 20.37,38; Zc 13.1,8,9) resultará na salvação da nação no segundo advento, como prometido em Romanos 11.27. As promessas nacionais podem ser cumpridas porque Deus, pelo Espírito Santo, redimiu um remanescente em Israel ao qual e por meio do qual as alianças podem ser cumpridas.

c) Haverá bênçãos milenares: Apocalipse 7.15-17 e 20.1-6 deixam claro que a salvação oferecida durante esse período encontrará seu cumprimento na terra milenar. Todas as bênçãos e privilégios de serviço, posição e acesso a Deus são vistos no âmbito milenar. É assim que as promessas nacionais serão realizadas mediante a salvação individual durante a tribulação e serão desfrutadas na terra durante o milênio.

Cada cristão deve entender que a Igreja aguarda pacientemente o Arrebatamento da Igreja. Nossa salvação já está garantida e segura em Cristo.O Senhor te abençoe e capacite. Boa aula!

Paula Renata Santos
Editora Responsável pela Revista Juvenis da CPAD 

Cadastre-se e receba ofertas e novidades por e-mail.