Lição 4 - Amós – Política e Justiça Social no Mundo Bíblico

1º Trimestre de 2020

“Eu, o Senhor, esquadrinho o coração, eu provo os pensamentos; e isso para dar a cada um segundo os seus caminhos e segundo o fruto das suas ações” (Jr 17.10).

OBJETIVOS
Explicar as desigualdades sociais;
Evidenciar a Justiça de Deus sobre os pecadores;
Conscientizar que Deus vocaciona pessoas.

ESBOÇO DA LIÇÃO
1. CONTEXTO HISTÓRICO
2. ESTRUTURA DO LIVRO
3. A MENSAGEM DE AMÓS

Querido (a) professor (a), vivemos em um tempo complexo de grande polarização política em nosso país. Devido a uma série de eventos que nos conduziram a este momento, o embate ideológico entre membros de Direita e Esquerda são levados ao extremo, representando um grande retrocesso para todos nós, enquanto sociedade e nação. 

Uma destas sequelas, por exemplo, é a “demonização” de algumas palavras, que têm seus reais significados ignorados, por serem erroneamente atribuídas exclusivamente a um grupo, lado, partido ou visão política. Por esta razão, conceitos como “Direitos Humanos”, “Justiça Social”, “ONGs”, “ambientalismo”, por exemplo – coisas benéficas, e mais importante ainda, totalmente embasadas nos mais valorosos princípios bíblicos –, hoje comumente são motivo de represália, até mesmo por parte de bons cristãos. 

Entretanto, a despeito de qualquer cenário caótico e polarizado em que se encontra a nossa nação, nós como representantes de Cristo na terra, ainda somos comissionados por Ele a sermos PACIFICADORES; pessoas com sede e fome de JUSTIÇA; que defendem a causa dos mais pobres e marginalizados socialmente; que não faz acepção de pessoas, mas defendem à dignidade de todo ser humano, direitos iguais para todos, independente de seu gênero, raça, credo, visão política, etc. (Cf. Mt 5. 3-10).

Reflitamos na seguinte passagem bíblica:“Porventura não fizestes distinção entre vós mesmos, e não vos fizestes juízes de maus pensamentos? Ouvi, meus amados irmãos:

Porventura não escolheu Deus aos pobres deste mundo para serem ricos na fé, e herdeiros do reino que prometeu aos que o amam?

Mas vós desonrastes o pobre. Porventura não vos oprimem os ricos, e não vos arrastam aos tribunais? Porventura não blasfemam eles o bom nome que sobre vós foi invocado?

Todavia, se cumprirdes, conforme a Escritura, a lei real: Amarás a teu próximo como a ti mesmo, bem fazeis. Mas, se fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado, e sois redarguidos pela lei como transgressores” (Tg 2.4-9).

Precisamos compreender que independente da visão política que apoiamos ou contexto social em que nos encontramos, a Palavra de Deus não mudou, e não pode ser distorcida ou apenas aplicados os trechos que mais nos convém. 

O mandamento de amar ao próximo se mantém! Portanto, falar e trabalhar em prol da justiça social é, acima e antes de tudo, cristão! Na próxima aula vamos abordar este tema, através do chamado e mensagem de Deus por meio do profeta Amós. 

Amós estava inserido em uma sociedade de inúmeras injustiças sociais, em que os mais ricos massacravam os mais pobres, e a corrupção era tão generalizada, que se tornara comum até mesmo entre os líderes do povo de Deus. Infelizmente, contexto muito semelhante ao dos nossos dias.

Ser luz em meio à tamanha confusão, caos social e escuridão espiritual, não é fácil. Mas que através do exemplo deste fiel e corajoso profeta, o Espírito Santo possa nos corrigir, inspirar e fortalecer para que possamos, como ele, levar a mensagem de justiça e amor do nosso Deus adiante – acima de qualquer bandeira ou visão política. 

O Senhor lhe abençoe e capacite! Boa aula.

Paula Renata Santos
Editora Responsável pela Revista Juvenis da CPAD 

Cadastre-se e receba ofertas e novidades por e-mail.