Lição 11 - O Que é Santo

1º Trimestre de 2019

Texto Bíblico: Atos 8.1-3; 9.1-19.

Na lição desta semana seus alunos aprenderão a respeito da santidade de Deus. Ele é santo e a santidade faz parte do seu caráter. Na fase em que seus alunos se encontram é importante que aprendam que a santificação é um dever de todo cristão. O Senhor disse que devemos ser santos, assim como Ele é santo (cf. 1 Pe 1.15,16). A santificação é uma verdade essencial para que tenhamos comunhão plena com Deus. O pecado fere a comunhão do crente com Deus e o afasta dEle. De outro modo, a santificação aproxima o crente de Deus e o faz desfrutar de todas as bênçãos que Deus dispensa sobre aqueles que são obedientes à sua Palavra.

De fato, ensinar os pré-adolescentes sobre a importância da santidade é um desafio, pois é nesta fase da vida que os hábitos da infância começam a ser abandonados para dar lugar à conversas mais juvenis. Com esse desenvolvimento surgem também amizades perigosas que surgem na intenção de fazer os pré-adolescentes se afastarem dos valores da Palavra de Deus para cederem ao pecado. Nesse contexto a Escola Dominical exerce papel essencial, pois é neste espaço que o pré-adolescente aprenderá a utilizar as ferramentas necessárias para defender-se dos ataques do inimigo. De acordo com o comentário da Bíblia de Estudo Pentecostal (1995, p. 1937):

Santificação (gr. Hagiasmos) significa ‘tornar santo’, ‘consagrar’, ‘separar’ do mundo’ e ‘apartar-se do pecado’ a fim de termos ampla comunhão com Deus e servi-lo com alegria.

(1) Além do termo ‘santificar’ (cf. 1 Ts 5.23), o padrão bíblico para santificação é expresso em termos tais como ‘amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento’ (Mt 22.37)., ‘irrepreensíveis em santidade’ (1 Ts 3.13), ‘aperfeiçoando a santificação’ (2 Co 7.1), ‘a caridade de um coração puro, e de uma boa consciência, e de uma fé não fingida’ (1 Tm 1.5), ‘sinceros e sem escândalo algum’ (Fp 1.10), ‘libertados do pecado’ (Rm 6.18), ‘mortos para o pecado’ (Rm 6.2), ‘para servirem à justiça para a santificação’ (Rm 6.19), ‘guardamos os seus mandamentos’ (1 Jo 3.22) e ‘vencer o mundo’ (1 Jo 5.4). Tais termos descrevem a operação do Espírito Santo mediante a salvação em Cristo, pela qual Ele nos liberta da escravidão e do poder do pecado (Rm 6.1-14), nos separa das práticas pecaminosas deste mundo atual, renova a nossa natureza segundo a imagem de Cristo, produz em nós o fruto do Espírito e nos capacita a viver uma vida santa e vitoriosa de dedicação a Deus (Jo 17.15-19,23; Rm 6.5,13,16,19; 12.1; Gl 5.16,22,23).

(2) Esses termos não subentendem a perfeição absoluta, mas a retidão moral de um caráter imaculado, demonstrada na pureza do crente diante de Deus, na obediência à sua lei e na inculpabilidade desse crente diante do mundo (Fp 2.14,15; Cl 1.22; 1 Ts 2.10; Lc 1.6). O pecado (Rm 6.18); por isso, não precisa nem deve pecar, e sim obter a necessária vitória no seu Salvador, Jesus Cristo. Mediante o Espírito Santo, temos a capacidade para não pecar (1 Jo 3.6), embora nunca cheguemos à condição de estarmos livres da tentação e da possibilidade do pecado.

(3) A santificação no Antigo Testamento foi a vontade manifesta de Deus para os israelitas; eles tinham o dever de levar uma vida santificada, separada da maneira de viver dos povos à sua volta (cf.  Êx 19.6; Lv 11.44; 19.2; 2 Cr 29.5). De igual modo a santificação é um requisito para todo crente em Cristo. As Escrituras declaram que sem santificação ninguém verá o Senhor (Hb 12.14).

Reúna estas informações e converse com seus alunos sobre as dificuldades que enfrentam para manterem-se santos na presença de Deus. Mostre-se disponível para ouvi-los e diga que é natural que eles enfrentem muitas tentações na fase da adolescência. Entretanto, é fundamental que permaneçam firmes na presença de Deus para que vençam todas as tentações.

Cadastre-se e receba ofertas e novidades por e-mail.