Lição 3 - Como vai a minha aparência?

2º Trimestre de 2019

A lição de hoje encontra-se em: Provérbios 20.29.

Caro(a) professor(a),

Na lição desta semana seus alunos aprenderão o que Bíblia diz sobre a aparência. Na etapa que seus alunos estão atravessando há uma grande preocupação com a aparência, sobre o que as pessoas pensam ou dizem a respeito da sua aparência, principalmente, o que pensam aqueles do sexo oposto. Tal preocupação está intimamente ligada à autoestima.

O adolescente gosta de ser bem visto e faz de tudo para ser bem aceito entre outros adolescentes da sua idade, mesmo que isso custe desobedecer aos preceitos da Palavra de Deus. Mas não convém que isso se faça assim. Deus espera que tenhamos a segurança de nos sentirmos bem da forma como Ele nos fez, sem nos afastarmos dos seus propósitos para a nossa vida. Isso é essencial e faz bem para a autoestima.

Seus alunos precisam aprender a lidar com a opinião das pessoas. É preciso se proteger daquelas que são destrutivas para a saúde emocional, pois não são poucos os casos de adolescentes que degeneram o próprio corpo e, até mesmo, entram em depressão porque não se sentem satisfeitos com a própria aparência ou não se veem enquadrados num suposto padrão de beleza reproduzido pela mídia.

Michael Ross discorre a respeito da preocupação do adolescente com a sua aparência:

“É uma regra injusta entre muitos adolescentes: se você não olhar, falar ou reagir de determinada forma — se não se encaixar na categoria certa — acaba como um alvo de bullying e caçoamento.

[...] Junto com o código legal está o jogo da popularidade. Participar do jogo da popularidade significa fazer o que é socialmente aceito. Embora as regras sejam diferentes em cada parte do mundo, aqui estão um pouco das mais familiares: vestir roupas certas, ir para as festas certas, usar a linguagem certa (a qual, usualmente, significa juramento) e manter Deus em uma distância certa (pelo menos em público). 

A sobrevivência social para muitos meninos — mesmo aqueles que afirmam ser cristãos — depende de como estão à altura nessas áreas. Se não estão à altura não são legais. E se não são legais, o que eles são?

Aspirantes (pessoas que desejam ser iguais às outras)! Então, meninos, como vocês gastam todo o momento que passam acordados, tentando perturbar a multidão legal? Mas o que acontece se eles não podem perturbar? Acabam se sentindo muito mal com eles mesmos. Começam a pensar que estão rejeitados, convencidos de que nunca serão aceitos.[...]

É tudo a respeito da aceitação. Infelizmente, muitos meninos estão dispostos a ir muito longe para tentar ser popular. Claro que há exceções neste jogo cruel. Há meninos cristãos confiantes que não são apanhados no que os outros pensam — homens jovens que são auxiliados na compreensão para a definição certa de legal” (ROSS, Michael. Cresci e agora? 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2013, pp. 64,65).

A preocupação com a aparência é muito comum na adolescência, tanto meninas quanto meninos querem se sentir bem da forma como estão. Converse sobre este assunto com seus alunos e reserve um momento para perguntas. Mostre que a Palavra de Deus orienta a moderação quando o assunto é o cuidado com a aparência e não devemos nos moldar ao formato do mundo: “E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” (Rm 12.2).

Boa aula!

Por Thiago Santos.
Educação Cristã 

Cadastre-se e receba ofertas e novidades por e-mail.