Lição 1 - A Necessidade de um Salvador

1º Trimestre de 2020

A lição de hoje encontra-se em: João 1.1-14

Caro(a) professor(a),

Estamos iniciando mais um trimestre do Novo Currículo de Escola Dominical. Este é o momento em que você deve fazer uma pausa para avaliar o trabalho realizado, verificar a metodologia e os conteúdos que já foram ministrados. Talvez tenha algum assunto que os seus alunos tiveram dificuldade para abstrair, aproveite e abra espaço para perguntas e sugestões.

A lição deste primeiro trimestre tem como título “O Maravilhoso Plano da Salvação”. Por intermédio deste estudo seus alunos conhecerão as etapas do plano que Deus traçou para salvação da humanidade. Desde a compreensão da necessidade de um Salvador até a entrada na vida eterna, seus alunos trilharão uma longa caminhada rumo ao conhecimento da vontade de Deus para suas vidas. 

Na lição de hoje, iniciaremos os trabalhos aprendendo em que consiste o plano redentor de Deus para a humanidade. Antes de qualquer coisa é importante entendermos que a salvação é uma necessidade. Não há ninguém que possa alegar que não precise da salvação, até mesmo aqueles que não acreditam nesta verdade ou pensam que o castigo eterno é neste mundo, carecem de ser salvos.

A Palavra de Deus é fiel e tem se cumprido de forma precisa a cada dia, e a condição humana diante de Deus permanece a mesma: “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Rm 3.23). Esta é uma verdade difícil para muitos reconhecerem, pois é natural que sejamos encorajados a olhar para as nossas qualidades e pensamos que temos alguma coisa boa que Deus possa olhar para nós e nos achar dignos de merecer alguma bênção. Acontece que essa condição não depende do que fazemos de bom para Deus ou mesmo para as pessoas. Essa é a condição em que o homem se encontra desde que pecou contra Deus no jardim do Éden. A Bíblia nos mostra que “o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus, nosso Senhor” (Rm 6.23).

Sendo assim, todos estão na mesma condição de condenação diante de Deus. Há somente um meio pelo qual o ser humano pode alcançar a justiça diante de Deus: crendo naquEle que justifica o pecador e redime a sua culpa. Na Bíblia de Estudo Pentecostal (1995, p. 1704), o comentarista discorre a respeito do termo graça:

No Antigo Testamento Deus revelou-se como o Deus da graça e misericórdia, demonstrando amor para com o seu povo, não porque este merecesse, mas por causa da fidelidade de Deus à sua promessa feita a Abraão, Isaque e Jacó (ver Êx 6.9). Os escritores bíblicos dão prosseguimento ao tema da graça como sendo a presença e o amor de Deus em Cristo Jesus, transmitidos aos crentes pelo Espírito Santo, e que lhes outorga misericórdia, perdão, querer e poder para fazer a vontade de Deus (Jo 3.16; 1 Co 15.10; Fp 2.13; 1 Tm 1.15,16). Toda atividade da vida cristã, desde o seu início até o fim, depende desta graça divina.

Após tomarmos conhecimento do modo como Deus manifesta o seu amor, parece difícil entender como alguém pode ser perdoado não havendo feito nada para merecer tamanho perdão. Mas é assim que Deus nos ama: “Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios. Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer. Mas Deus prova o seu amor para conosco em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores” (Rm 5.6-8). Pode parecer estranho, mas é assim que Deus manifesta o seu grandioso amor. Não merecíamos e não há nada que façamos por merecer, mas, mesmo assim, Ele se dispôs a nos amar de tal maneira que entregou o seu próprio Filho para morrer em nosso lugar e, assim, ficássemos livres da culpa dos pecados. Desde então, tudo o que o ser humano deve fazer é crer no meio que Deus usou para salvar a humanidade, isto é, crendo na morte de Cristo sobre a cruz e em sua ressurreição.

Reforce o ensinamento da lição de hoje através da seguinte atividade: Peça aos alunos para organizarem-se em duplas. Em seguida, distribua folhas de papel A4 e lápis para os alunos. Peça que escrevam o que o seu amigo da dupla merece ganhar de presente neste início de ano. Ao final, todos deverão trocar os papéis. Explique que tudo quanto o aluno desejou para o seu amigo deverá ler para si mesmo. Mostre para eles que não somos merecedores de nada. Tudo o que recebemos de Deus é por sua graça e bondade. Ao final, distribua saquinhos de bombons para todos os alunos.

Cadastre-se e receba ofertas e novidades por e-mail.