Lição 6 - Mudando de Direção

1º Trimestre de 2020

A lição de hoje encontra-se em: Lucas 15.11-24. 

Caro(a) professor(a),

Na aula desta semana seus alunos estão convidados a conhecer mais uma etapa do Plano da Salvação: a conversão. Após receber a palavra de salvação e entender a necessidade do arrependimento, a pessoa que se decidiu pela fé em Jesus Cristo passa a expressar uma mudança de comportamento. Essa mudança é resultado da decisão de seguir em uma nova direção, isto é, após a conversão.

Antes de adentrarmos no assunto é importante entender o que significa conversão. De acordo com o Dicionário Houaiss a palavra conversão significa alteração de sentido, direção. Quando se realiza uma conversão significa que há uma modificação no sentido para onde a pessoa desejava ir, ou seja, houve uma mudança de destino onde se pretendia chegar.  

Assim, também, a conversão significa, no sentido mais espiritual da palavra, que a pessoa ao tomar conhecimento do evangelho muda a forma como enxergava a vida.  A partir de então, não se vê em outro caminho a não ser naquele com destino à eternidade ao lado do Criador. Há uma notória mudança de pensamento e comportamento na pessoa. Essa mudança se dá a partir do momento em que o pecador reconhece a sua triste condição de pecado, entende que precisa reconciliar-se com Deus e, por fim, toma a decisão de ir ao Seu encontro e fazer a Sua vontade. Mas nada disso seria real se não fosse a ação do Espírito Santo em cada coração. Somente Ele pode convencer o ser humano do pecado, da justiça e do juízo (cf. Jo 16.8-11).

Nesse contexto, a conversão significa também uma alteração da posição espiritual da pessoa perante Deus (cf. Ef 2.6,7). Se em um momento a pessoa estava vivendo uma vida de pecados, afastada de Deus e destinada à condenação eterna, a partir de agora, a nova vida em Cristo resulta em perdão e comunhão. Assim como o filho pródigo retornou a casa de seu pai e reassumiu o status de filho, do mesmo modo, todos os que se reconciliam com Deus, alcançam a restauração da condição de filhos de Deus e já não estão mais debaixo do pecado, mas sim da graça (Lc 15.11-32).

A pergunta que não quer calar é: como identificar uma pessoa que de fato tenha se convertido? Logicamente, a conversão resulta, de acordo com Bergstén (1999, p. 174):

Um novo testemunho (cf. Gl 1.22-24; Mt 5.16; 1 Pe 4.1-4). Novas bênçãos (cf. At 3.19): os tempos do refrigério chegaram. Tudo aquilo que antes impedia as bênçãos foi tirado pela conversão. Uma nova incumbência: “Quando te converteres, confirma teus irmãos” (Lc 22.32). Um novo alvo: o céu! Os convertidos poderão entrar no Reino de Deus (cf. Mt 18.3; Lc 23.43). 

A nova vida em Cristo parte do princípio de que o crente convertido viverá de modo que o seu alvo seja alcançar o céu. E, por assim dizer, vive um estilo de vida que evidencia essa verdade.

Com base nessas informações, realize uma roda de diálogo com seus alunos e pergunte como podemos identificar um pré-adolescente convertido. Que atitudes podemos esperar de um convertido em contraste com o comportamento daqueles que não servem a Deus? Se preferir, divida a classe em grupos e peça que registrem as informações em uma folha, para que, ao final de atividade, digam o que registraram.

Cadastre-se e receba ofertas e novidades por e-mail.