Lição 13 - A Relação entre os Dons e o Amor

2º Trimestre de 2020

A lição de hoje encontra-se em: 1 Coríntios 13.1-13.

Prezado(a) professor(a),

Chegamos ao final de mais um trimestre e este é o melhor momento para analisar como os seus alunos corresponderam aos ensinamentos das lições. Como eles receberam o conhecimento da Palavra de Deus? Eles compreenderam a lição? Quais foram as dificuldades que você, professor, encontrou no ensino das lições? Tome nota de cada detalhe para que no próximo trimestre o seu trabalho possa ser aperfeiçoado.

A lição deste trimestre vai abordar um dom muito importante para a administração dos demais dons, sejam estes espirituais ou ministeriais: o dom do amor. O apóstolo Paulo afirma que até podemos realizar grandes feitos em nome de uma boa causa, mas se não tivermos amor tudo será em vão. Logo, sem o amor de Deus em nossas vidas não haveria razão para realizarmos qualquer coisa em sua obra.

O comentário da Bíblia de Estudo Pentecostal (1995, p. 1760) enfatiza a supremacia do amor em 1 Coríntios 13.1-13:

Este capítulo deixa claro que um caráter semelhante ao de Cristo, Deus o enaltece acima do ministério, da fé ou a posse dos dons espirituais. (1) Deus valoriza e destaca o caráter que age com amor, paciência (v. 4), benignidade (v. 4), altruísmo (v. 5), aversão ao mal e amor à verdade (v. 6), honestidade (v. 6), e perseverança na retidão (v. 7), muito mais do que a fé que move montanhas ou realiza grandes feitos na igreja (vv. 1,2,8,13). (2) Os maiores no Reino de Deus serão aqueles que aqui se distinguem em piedade interior e no amor a Deus, e não aqueles que se notabilizam pelas realizações exteriores (ver Lc 22.24-30). O amor de Deus, derramado dentro do coração do crente pelo Espírito Santo, é sempre maior do que a fé, a esperança, ou qualquer outra coisa (Rm 5.5).

[...] Os crentes que têm amor genuíno pelos que também pertencem ao corpo de Cristo, devem buscar os dons espirituais a fim de poderem ajudar, consolar, encorajar e fortalecer os necessitados (cf. 12.17). Não devem esperar passivamente que Deus lhes conceda os dons do Espírito Santo (12.7-10). Devem, pelo contrário, com zelo, desejar e buscar com oração esses dons, principalmente, os que são próprios para encorajar, consolar e edificar (cf. 14.3,13,19,26).

Vale ressaltar que uma das características peculiares do amor é a disposição em servir. Não se pode esperar de alguém que afirma ter o amor de Deus um comportamento que não se submete ao serviço. Infelizmente, em muitos lugares, o que se vê não são pessoas dispostas a servir, e sim a gloriar-se por conta de um dom ou capacidade ministerial. Deus não concede dons para o engrandecimento pessoal da pessoa. Engana-se quem pensa que pode se tornar famoso ou ganhar certo prestígio por conta dos dons e talentos que possui. Antes a proposta dos dons é a edificação do corpo de Cristo, a Igreja.

Aproveite o momento e converse com seus alunos sobre os dons e talentos que eles receberam do Senhor. Mostre as qualidades que devem ser encontradas na pessoa que recebeu de Deus um talento para edificação da igreja. Ao final, diga que existe uma qualidade que não pode faltar no servo do Senhor, sem a qual, todas as outras se tornam superficiais e todo o serviço em vão: O AMOR.

Cadastre-se e receba ofertas e novidades por e-mail.