Lição 3 - A Terra criada por Deus

Subsídio Especial: 3º Trimestre de 2020

A lição de hoje encontra-se em: Gênesis 1.9-11, 20, 24; 2.1, 4.

Na lição desta semana seus alunos aprenderão que a Terra é um lugar especial criado por Deus para que a humanidade pudesse viver. Seus alunos, certamente, já conhecem a sucessão dos fatos que decorreram na criação dos céus e da terra. Entretanto, quando chegam na fase da pré-adolescência é comum aprenderem novas informações na escola que confrontam com tudo aquilo que receberam na igreja no tocante a fé em Deus. A ciência traz outras explicações para a criação dos céus e da terra, assim como da humanidade.

O grande dilema vivido por seus alunos não é apenas o fato de receberem outras explicações numa perspectiva científica, afinal de contas, como já informamos em outro momento a ciência não tem a obrigação de explicar a fé assim como a Bíblia não tem a obrigação de explicar a ciência. São apenas visões de ângulos diferentes. O grande problema é quando a falsa ciência tenta desconstruir a fé, dizendo que as informações encontradas na Bíblia não são verdades. Por esse motivo, caro(a) professor(a), é importante que você esteja capacitado a preparar seus alunos para o enfrentamento das falsas ideias. 

Em primeiro lugar, professor(a), tenha à sua disposição materiais, livros e revistas que trazem matérias e estudos científicos sobre as descobertas mais recentes sobre a formação da Terra, os elementos que a constituem. Essas informações ajudam na compreensão de seus alunos e aguçam a curiosidade deles nesta fase da vida que é um tempo de descobertas.

Em segundo lugar seus alunos precisam ter em mente que a Bíblia é a nossa maior referência no tocante à perspectiva da fé. Para tanto, eles precisam compreender que muito do que é ensinado na igreja é fruto de pesquisas bíblicas e interpretações patenteadas pelos “Pais da Igreja”, isto é, pelos grandes estudiosos que tiveram forte influência no campo da teologia. Sobre os dias da criação, Ken Han, no livro “Criacionismo: verdade ou mito?”, publicado CPAD (2011, pp. 96, 97), faz a seguinte análise citando os pais da Igreja:

A maioria dos Pais da Igreja aceitou os dias da criação como dias comuns. É verdade que alguns Pais da Igreja Primitiva não ensinavam os dias da criação como dias comuns – mas muitos deles foram influenciados pela filosofia grega, o que os fez interpretar os dias como alegóricos. Eles raciocinavam que os dias da criação estavam relacionados com as atividades de Deus, e Deus, sendo infinito, podia significar que os dias não se relacionavam com o tempo do homem. Em contraposição aos alegoristas de hoje, eles não podiam aceitar que Deus levou tanto tempo – insto é, seis dias – para criar tudo que existe. Portanto, os dias não literais foram influências extrabíblicas (isto é, influências externas à Bíblia), não das palavras da Bíblia.

Para reforçar os ensinamentos da lição, confeccione um quadro com as informações de cada dia da criação. Explique como se deu a criação em cada dia. Pesquise também outras explicações apontadas por outros autores e visões diferentes sobre a criação. Essas informações são para comparação e seus alunos terão acesso a outros conhecimentos no tocante ao assunto.

Boa aula!

Cadastre-se e receba ofertas e novidades por e-mail.