Lição 2 - A Mensagem de João Batista

4º Trimestre de 2020

A lição de hoje encontra-se em: João 1.19-34.

Olá, prezado(a) professor(a),

Na lição desta semana seus alunos aprenderão a respeito da mensagem pregada por João Batista. Uma mensagem intrigante que tinha como propósito converter o coração do povo a Deus em um tempo em que as pessoas estavam dispersas e não tinham o compromisso verdadeiro com a religião judaica. João Batista pregava uma mensagem que chamava a atenção até mesmo dos poderosos. E essa mesma mensagem nos traz muitas lições que podem ser aplicadas nos dias atuais.

Antes de adentrarmos no assunto central da lição é importante lembrar quem era João Batista no contexto espiritual. João Batista foi questionado se era o Messias, o Cristo que havia de vir e afirmou categoricamente que era apenas “a voz do que clama no deserto”, profetizada pelo profeta Isaías (cf. Is 40.3). Ele não quis trazer para si o prestígio de ser alguém próximo do Messias, mas disse que a sua responsabilidade era apenas preparar o coração do povo para a chegada do Senhor: “Eu batizo com água, mas no meio de vocês está alguém que vocês não conhecem. Ele vem depois de mim, mas eu não mereço a honra de desamarrar as correias das sandálias dele” (cf. Jo 1.27,28). João estava certo de que a sua responsabilidade não era pequena diante de Deus e, por isso, a sua mensagem seria tão contundente e impactante.

Para alguns a mensagem de João poderia parecer uma afronta, mas na verdade tinha apenas um objetivo: levar o povo ao arrependimento. Não era mais tempo de tratar a adoração e o relacionamento com Deus de qualquer maneira. O estado precário em que se encontrava o relacionamento de Israel com Deus se comprovara durante o ministério de Jesus, quando Ele disputava acirradamente com os fariseus e líderes judeus e observava a dureza de seus corações (Mt 23; Mc 8.10-12). Eles amavam mais a glória dos homens do que a glória de Deus. Por esse motivo, não havia outro caminho se não o arrependimento. Mas de que se trata o arrependimento pregado por João Batista? De acordo com o comentário da Bíblia de Estudo Pentecostal (1995, p. 1389):

Arrependei-vos. O significado básico de arrependimento (gr. metanoeo) é ‘voltar-se ao contrário’; dar uma volta completa. Trata-se de abandonar os maus caminhos e voltar-se para Cristo e, através dEle, para Deus (At 8.22; 26.18; 1 Pe 2.25; Jo 14.1,6).
(1) A decisão de abandonar o pecado e querer a salvação em Cristo importa em aceitar a Cristo não somente como Salvador da penalidade do pecado, mas também como Senhor da nossa vida. Por conseguinte, o arrependimento envolve uma troca de senhores; do senhorio de Satanás (Ef 2.2) para o senhorio de Cristo e da sua Palavra (At 26.18).
(2) O arrependimento é uma decisão livre, da parte do pecador, possibilitada pela graça divina capacitadora que lhe é concedida quando ele ouve o evangelho e nele crê (At 11.21).
(3) A definição da fé salvífica como mera ‘confiança’ em Cristo como Salvador é totalmente inadequada, ante a exigência do tipo de arrependimento feita por Cristo. Definir a fé salvífica sem incluir o arrependimento é uma condição imutável para a salvação (cf. Mc 1.15; Lc 13.3,5; At 2.38; 3.19; 11.21).
(4) O arrependimento foi uma mensagem básica na pregação dos profetas do Antigo Testamento (Jr 18.8; Jl 2.12,13; Ml 3.7; Ez 18.21), de João Batista (3.2), de Jesus Cristo (4.17; 18.3; Lc 5.32) e dos cristãos no Novo Testamento (At 2.38; 8.22; 11.18; 2 Pe 3.9). A pregação do arrependimento sempre deve acompanhar a mensagem do evangelho (Lc 24.47).

Desta forma, fica evidente que o arrependimento não se resume ao fato de apenas reconhecer o senhorio de Cristo, mas principalmente de assumir uma posição completamente oposta ao pecado, à antiga conduta e rejeitar sistematicamente se sujeitar a uma vida de pecado. Essa lição é de suma importância para os seus alunos, tendo em vista que nesta fase da vida muitos se tornam participantes de uma igreja e não de Cristo. E, por causa dessa indefinição, muitos acabam se afastando da presença de Deus, pois na verdade não experimentaram do arrependimento necessário para uma vida espiritual sadia.

Aproveite e faça uma roda de conversa com seus alunos, pergunte se eles têm facilidade em demonstrar arrependimento quando cometem algum pecado. Mostre que o arrependimento não envolve apenas contrição emocional, mas atitude e posicionamento racional de rejeição ao pecado e obediência a Cristo. É uma postura firme em fazer a vontade de Deus com base no temor da sua santa Presença e da sua Palavra.

Tenha uma boa aula! 

Cadastre-se e receba ofertas e novidades por e-mail.