Lição 10 – O Cuidado Com As Amizades

Texto bíblico: Provérbios 13.20.


Prezado(a) professor(a),


Na lição desta semana seus alunos estão convidados a aprender sobre um tema que envolve a realidade que estão vivendo: o cuidado com as amizades. É verdade que nem todas as amizades são produtivas ou boas influências para a nossa conduta. Por esse motivo, é preciso ter o cuidado para saber escolher quais amizades devem ser mantidas. A Palavra de Deus nos mostra que “as más companhias estragam os bons costumes” (cf. 1 Co 15.33). Selecionar as amizades é importante para delimitar que tipo de informação está nos influenciando cotidianamente.
Amizades que prezam por assuntos que contrariam completamente as verdades bíblicas e os valores que aprendemos com as nossas famílias não são boas amizades. De outro modo, há pessoas que são verdadeiros canais de Deus para a nossa edificação espiritual. Amigos que Deus levanta para nos ajudar a tirar as dúvidas a respeito dos ensinamentos do Reino de Deus. Pessoas que, apesar de imperfeitas, nos ajudam em oração e com um bom conselho nas horas mais indelicadas. Obviamente que são pessoas falhas e limitadas, porquanto, somente o Senhor é perfeito e fiel em todas as circunstâncias. Portanto, não devemos esperar perfeição de nossos melhores amigos ou mesmo pensar que eles têm a responsabilidade de nos ajudar em todos os momentos. Somente Deus pode nos socorrer em qualquer situação e, muitas vezes, Ele nos permite passar por adversidades que pensamos estar sozinhos, mas isso faz parte do exercício da fé (cf. Gn 28.15; Js 1.9).

1. Amizades que são más influências. Esta é uma boa oportunidade para você, caro professor, ensinar seus alunos a respeito da forma como eles selecionam suas amizades. Há pessoas que falam palavrões, contam mentiras, fazem piadas de teor obsceno, batem em seus colegas e quando aprontam alguma confusão sempre colocam a culpa em alguém. Essa amizade não é proveitosa para um pré-adolescente que serve a Deus. O apóstolo Paulo, certa vez, orientando o jovem Timóteo advertiu que nos últimos dias surgiriam pessoas difíceis: egoístas, avarentos, orgulhosos, vaidosos, xingadores, ingratos, desobedientes aos seus pais e não teriam respeito com a religião. E Paulo ainda acrescenta: seriam duros, sem amor com os
outros, caluniadores, incapazes de se controlarem, violentos e inimigos do bem, traidores, atrevidos, cheios de orgulho, mais amantes dos prazeres do que de Deus, pareceriam seguidores do evangelho, mas com as suas ações negariam o verdadeiro poder dele (cf. 2 Tm 3.1-5). Por fim, o apóstolo reforça: Fique longe dessa gente! Semelhantemente, caro professor, você deve orientar seus alunos a se afastarem de toda e qualquer amizade que tentar influenciá-los a pecar contra Deus.

2. Amizades direcionadas por Deus e que nos edificam. De outro modo, encontramos ao longo da vida, pessoas que são leais e contribuem para o nosso crescimento. Quem nunca teve uma amizade que marcou a sua infância? Aquele amigo que compartilhamos os melhores momentos e também os mais difíceis. Certamente, boa parte dos adultos já teve essa experiência. São pessoas que contribuem com o melhor conselho, ensinam e compartilham coisas boas e proveitosas para o nosso crescimento. São pessoas que falam a verdade, se preocupam com o próximo, estendem a mão quando você precisa, não julgam o seu próximo quando este comete alguma falha e não deixam de falar a verdade quando seus amigos lhe pedem a opinião. São essas pessoas que seus alunos devem ter como amigos e permitirem que façam parte do seu circulo amizades mais próximas. Como exemplo, podemos citar os amigos de Daniel (cf. Dn 1.3-7,20; 3.14-18). Eles serviam ao mesmo Deus de Daniel e nos momentos mais difíceis não negaram a fé em Deus. Ressalte que seus alunos devem procurar desenvolver amizades com pessoas que servem a Deus com sinceridade e desejam adorá-lo de todo o coração (cf. Jo 4.23,24). São essas pessoas que vão agregar valores e conhecimentos da parte de Deus para a vida deles.

Para reforçar o ensinamento da lição desta semana, converse com seus alunos e pergunte quais são os critérios que eles definem para fazer amizades. Depois de responderem, faça uma lista e delimite os critérios de uma boa amizade que pode contribuir para o crescimento e edificação espiritual.

Tenha uma boa aula!

Cadastre-se e receba ofertas e novidades por e-mail.