Lição 12 – O Perdão Em Família

Texto bíblico: Mateus 18.15-22; Colossenses 3.12-15.


Prezado(a) professor(a),


Na lição desta semana seus alunos aprenderão a respeito do perdão em família. A capacidade de perdoar é um exercício contínuo em nossa caminhada cristã. Muitas vezes, a falta da capacidade de perdoar os amigos, os irmãos da igreja ou mesmo as pessoas de outros espaços frequentados ocorre porque a pessoa não aprendeu a perdoar em casa. É no seio familiar onde aprendemos os ensinamentos basilares que farão a diferença na forma como nos relacionamos em sociedade.
Nesta mesma perspectiva, a lição de hoje visa conscientizar seus alunos a respeito da necessidade de perdoarmos os nossos familiares mais próximos (cf. Mt 18.15-22). Se não conseguimos perdoar nossos pais, irmãos e parentes que fazem parte do nosso ciclo de convivência, como conseguiremos perdoar aqueles que fazem parte da nossa relação na sociedade? Mais do que a cura das emoções que se encontram feridas, o perdão é uma questão de inteligência, de razão. Quem decide perdoar vive melhor e se relaciona melhor com as pessoas (cf. Cl 3.12,13). Este exercício deve começar em nossa casa, pois Deus ama a família e, por mais imperfeitos que sejam, devemos agradecer pelos familiares que Deus nos concedeu. Mostre aos seus alunos na lição de hoje que o perdão é uma decisão que não pode ser procrastinada. Deus tem pressa em nos abençoar e espera que tenhamos um coração flexível para perdoar, pois da mesma forma dependemos do perdão divino para vivermos e alcançarmos a salvação eterna (cf. Mt 6.14,15).

A. A capacidade de perdoar vem de casa. Talvez seus alunos não tenham percebido, mas boa parte das vezes que nos deparamos com situações desagradáveis na escola, na vizinhança ou e outros lugares onde temos que nos relacionar com pessoas, refletimos os hábitos e atitudes que aprendemos em casa. É em nosso lar, entre os nossos familiares que aprendemos a tomar decisões, a nos comportar respeitosamente e a nos relacionar com as pessoas. Geralmente, a forma como nos relacionamos com os nossos amigos, professores e outras pessoas na sociedade é um reflexo da maneira como nos relacionamos com a nossa família em casa. Logo, se alguém não aprende a perdoar, a amar e ajudar os seus, como aprenderá a tratar
bem as pessoas na sociedade? Alguém pode até discordar e dizer que é possível ter um bom relacionamento com outras pessoas que não são seus familiares. Isso pode até ser possível, afinal de contas, as famílias são diferentes e possuem culturas diversificadas, todavia, a convivência com o tempo é que vai revelar como a pessoa lida com o perdão. Não significa que devemos tratar mal as pessoas na sociedade, devemos tratá-las com o maior respeito possível, mas também é essencial que tratemos com amor e respeito, principalmente, aqueles que são da nossa família. A palavra de Deus nos ensina que “aquele que não cuida dos seus parentes, especialmente dos da sua própria família, negou a fé e é pior do que os que não creem” (1 Tm 5.8). Deus espera que tratemos bem os nossos amigos, vizinhos e professores, mas não podemos nos esquecer de que a nossa família, por mais imperfeita que seja, é um bem muito precioso concedido por Deus.

B. Quem decide perdoar vive melhor e se relaciona melhor. O perdão é uma decisão que não pode ser adiada. Alguém pode até questionar o fato de que uma pessoa não pode afirmar que perdoou alguém, haja vista que ainda carrega mágoas e ressentimentos em seu coração. Acontece que a Palavra de Deus nos ensina que o perdão é uma ordenança que deve ser cumprida, caso contrário, a pessoa não poderá desfrutar da comunhão e, consequentemente, da salvação eterna com o Senhor Jesus (cf. Mt 6.14,15). É uma decisão condicional que deve ser cumprida, pois se assim não for, pode acarretar consequências para a vida espiritual. Mas e quanto aos ressentimentos e mágoas ocasionados pelos males causados à alma? Caro professor, tanto você quanto os seus alunos, precisam confiar que Deus tem a cura que o ser humano precisa. O mesmo Deus que exige o perdão é o mesmo que tem o poder de curar e restaurar o coração daqueles que se encontram ofendidos (cf. Lc 4.17-19). O Espírito Santo é aquele que consola os corações abatidos (Jo 14.16-18). Ele tem pode para restaurar a saúde emocional não importa o tamanho da ferida. Esta é uma verdade e confiança que deve ser desenvolvida com seus alunos.

Ao final da lição, ore com a classe e peça para Deus restaurar o coração de seus alunos e ajudá-los a perdoar os seus familiares. Talvez seus alunos estejam enfrentando situações muito difíceis em seus lares e, de fato, seja muito difícil perdoar. Esteja à disposição de seus alunos, converse com eles e mostre que Deus entende a dor que estejam sentindo e deseja ajudá-los a lidar com o problema.

Tenha uma excelente aula.

Cadastre-se e receba ofertas e novidades por e-mail.