Lição 8 - As Primeiras Línguas

1º Trimestre de 2019

Objetivo: Que o aluno compreenda que o orgulho não agrada a Deus.

Ponto central: Deus não se agrada da soberba. Precisamos ser humildes.

Memória em ação: “O orgulhoso acaba sendo humilhado [...]” (Pv 29.23) 

Querido (a) professor (a), nosso texto base das Sagradas Escrituras para esta próxima lição encontra-se em Gênesis 11.1-9. É uma história muito interessante, cheia de curiosidades, até mesmo para nós adultos.

Você já deve ter imaginado como era a famosa “torre de Babel”, que o povo ergueu tão alta/suntuosa, não é mesmo?! Há um consenso na arqueologia bíblica de que ela provavelmente era similar a um zigurate, que em tradução livre significa “subir ao céu” e é “uma forma de templo, criada pelos sumérios. Mas também comum para os babilônios e assírios, pertinente à época do antigo vale da Mesopotâmia e construído na forma de pirâmides terraplanadas”, conforme explicação na Wikipédia.

Veja abaixo algumas ilustrações de zigurates e por último uma projeção artística de como se imagina ter sido a “torre de Babel” em pintura a óleo feita por Pieter Bruegel.

   1 2

 

 

 

3

 4

[...] As pessoas nesta história construíram a torre como um monumento a sua própria grandeza, algo para ser visto por todo o mundo.

A torre de Babel foi uma grande conquista humana, uma maravilha do mundo. No entanto, era um monumento para engrandecer as pessoas, não a Deus. Podemos construir monumentos para nós mesmos (roupas caras, grandes mansões, templos, carros luxuosos, empregos importantes) a fim de chamar atenção para as nossas realizações. Estas coisas podem não estar erradas em si mesmas, mas quando as utilizamos para promover nossa identidade e valor, elas tomam o lugar de Deus em nossa vida. Somos livres para prosperar em muitas áreas, mas não para pensar em tomar o lugar de Deus. Quais torres você tem construído em sua vida? (Bíblia de Estudo de Aplicação Pessoal. Rio de Janeiro: CPAD, 1995, pp.20-21).

Após aplicar todas as atividades propostas em sua revista, havendo tempo hábil, você pode propor a brincadeira de construir uma “torre de Babel” com cartas de baralho (ou outro jogo, como Uno, etc.) ou utilizando dominós.

Quando as cartas ou dominós ruírem, frise que tudo aqui na Terra é temporário, frágil e passará. Por isso, não devemos ter apego a nada, nem nos envaidecer por termos um brinquedo melhor que o do amigo, ou ter isso ou aquilo. Devemos sim ser gratos a Deus por tudo que Ele nos der, mas não podemos nunca colocar o nosso coração em nenhuma dessas coisas, porque elas também vão ruir um dia. Somente o nosso espírito o Senhor criou para ser eterno. E ao aceitarmos a Salvação em Jesus, ao termos um coração cheio de amor, que pratica a bondade contida em sua Palavra, então nós viveremos para sempre com Deus no Céu.

O Senhor te abençoe e capacite. Boa aula!

Paula Renata Santos
Editora Responsável pela Revista Primários da CPAD 

Cadastre-se e receba ofertas e novidades por e-mail.